Unhas Frágeis: Como lidar?

Muito comum ouvir nossas amigas ou nós mesmas reclamando que as unhas são frágeis, lascam, descamam, quebram, afinam… como isso irrita não é mesmo?

Nossas unhas são muito mais do que um artigo de embelezamento – elas nos dão sinais muito importantes sobre como está a saúde do organismo.

Muitas doenças podem afetar as unhas, tanto doenças da própria pele como micoses, psoríase e até mesmo doenças sistêmicas, como alterações na tireóide ou nutricionais. Ao se deparar com alterações nas unhas é essencial procurar seu dermatologista para descartar qualquer alteração patológica, ou seja, que possa representar alguma doença que esteja se manifestando nas unhas.

Caso não haja nenhum indicativo de doença, devemos lembrar da síndrome das unhas frágeis, que é uma doença de causa desconhecida mas pode estar relacionada a alguns hábitos como lavagem frequente das mãos, manipulação de produtos de limpeza sem proteção, produtos de remoção de esmalte com acetona, exposição ao frio e ao calor e trauma repetido (digitação, algum instrumento musical ou de trabalho por exemplo) – Algo muito corriqueiro em nós mulheres que sempre estamos tentando levar o mundo nas costas. Ainda, o envelhecimento também deixa a unha mais frágil, sendo essa uma alteração ainda mais comum em mulheres com idade avançada.

O diagnóstico é feito pelo dermatologista ao encontrar de unhas finas, moles, com irregularidades, que se quebram e partem com facilidade, após a exclusão de outras doenças que já comentei acima.

O tratamento é baseado na redução do trauma, principalmente de repetição, nas unhas, ou seja:

  • Não roer ou morder as unhas;
  • Usar luvas evitando o contato com substancias químicas como detergentes e água sanitária;
  • Manter as unhas curtas;
  • Secar bem as unhas após a lavagem, se possível, diminuir o número de lavagens das mãos;
  • Hidratar bem as unhas, principalmente em períodos frios e secos;
  • Evitar o uso de acetona que pode ressecar ainda mais a unha – Preferir removedor de esmalte sem esse componente;
  • Algumas vezes pode ser necessário o uso de suplementos nutricionais.

Não sofra com as suas unhas… procure seu dermatologista, especialista pela Sociedade Brasileira de Dermatologia e mãos à obra (com unhas fortes!)

Fonte: Anais Brasileiros de Dermatologia, vol 82 n.3;
             Imagem de capa: https://commons.wikimedia.org/wiki/File:Onychophagy.jpg