Descomplicando o corrimento vaginal

Os corrimentos ou secreções vaginais, também chamados de leucorréias, consistem  no aumento do fluxo vaginal associado ou não a sintomas.

As leucorréias levam as mulheres a muitas consultas médicas, pois não gostam da umidade constante, sentem-se desconfortáveis e temem estar diante de alguma doença de transmissão sexual.

Porém, NEM TODO CORRIMENTO PRECISA SER TRATADO!!!! Existem os chamados corrimentos fisiológicos (normais), compostos de muco cervical, células vaginais esfoliadas, transudado (cujo volume aumenta com excitação sexual), secreção das glândulas de Bartholin e Skene, leucócitos, microorganismos da flora vaginal e eventualmente, sangue menstrual e sêmen. Esses corrimentos geralmente não são associados a sintomas vaginais e não tem cheiro forte.

A flora vaginal, por sua vez, varia muito com a idade da mulher (desde o nascimento até a menopausa ) e sofre grande influência hormonal. A produção ou não do estrogênio é o fator hormonal mais importante na composição da flora vaginal.

Vale destacar, que nas situações em que há níveis altos de estrogênio (como na puberdade e idade fértil), observa-se proliferação do tecido da vagina (epitelial) que fornece glicogênio (açúcar) necessário para a proliferação dos lactobacilos naturais da vagina (descritos por Doderlein, em 1894- não são os do Yakult!). A ação dos lactobacilos evita a invasão de bactérias e fungos de fora da vagina e o crescimento excessivo de organismos potencialmente nocivos da flora vaginal normal. Eles fazem essa proteção devido aos seguintes mecanismos:

  • Produzem ácido lático e acético ⇒ mantém pH ácido da vagina (pH vaginal entre 3,8 – 4,2);
  • Produzem substâncias bactericidas (que destroem as bactérias);
  • Dificultam a adesão de outros germes ao epitélio vaginal;

Portanto, na vagina existem, em equilíbrio com os bacilos de Doderlein (lactobacilos), diversos microorganismos, tais como: estafilococos, estreptococos, coliformes, bacteroides, Escherichia coli, cândida, …. Esses diversos patógenos permanecem em harmonia , controlados pelos lactobacilos. Mas, se acontecer um desequilíbrio dessa flora vaginal, devido a TRATAMENTOS ERRÔNEOS OU DESNECESSÁRIOS, por exemplo, poderá surgir uma leucorréia iatrogênica (corrimento causado por um tratamento desnecessário).  Outras situações que favorecem esse desequilíbrio são: uso de antibióticos, imunossupressores e períodos de hospitalização.

Então, “mulher descomplicada”, procure seu (sua)  médico(a) de confiança para saber se seu corrimento precisa ou não ser tratado e como deve ser esse tratamento!!!

Um beijo e até a próxima!!!

Fonte: (1) Manual de Ginecologia e Obstetrícia (SOGIMIG), 2012; (2) Patologia do Trato Genital Inferior e Colposcopia, 2010; (3) Atlas de Dermatologia genital, 2011