O que é diástase do reto?

Diástase do reto, para saber o que é, vamos começar falando da musculatura do abdome.

Nossa parede abdominal anterior, ou seja, a parede de músculos mais superficial da nossa barriga, consiste nos músculos reto abdominais, separados pela linha alba, que é a fusão dos músculos oblíquos do abdome (a musculatura lateral) e aponeurose (um tecido que sustenta nosso conteúdo abdominal).

Em verde o músculo reto abdominal em sua posição normal.

A diástase do reto abdominal descreve a condição quando uma distância anormalmente grande, no meio do abdome e na vertical, separa os dois músculos retos, causando uma saliência do conteúdo abdominal.

Isso pode ser uma condição que vem desde o nascimento. Porém, também pode ser adquirida por condições de enfraquecimento dessa musculatura, causando uma sobrecarga pelo aumento da pressão abdominal.

Essa sobrecarga ocorre, por exemplo, na obesidade, gestação, cirurgias abdominais, levantamento de peso ou exercícios de alto impacto ou ainda nas doenças/ condições específicas que favorecem a fragilidade do tecido conjuntivo.

É muito comum observar em homens de meia idade e com obesidade central, ou em mulheres gestantes com feto grande ou gemelares.

Ainda, a diástase do reto abdominal também pode ocorrer em situações de cirurgias repetidas (como cesarianas), histerectomia por técnica convencional (retirada do útero), múltiplas gestações, maior idade e maior fragilidade do assoalho pélvico.

A prevenção é a melhor forma para contornar a diástase.

Para isso precisamos adotar medidas para evitar obesidade e exercícios especializados durante a gestação e no período do pós parto. Por esse e outros benefícios que enfatizamos a importância da realização de fisioterapia especializada e atividade física durante a gestação e nunca esquecer do acompanhamento nutricional.

E ao longo da vida, é fundamental manter uma alimentação adequada e a atividade física, pensando sempre em fortalecimento e controle de peso corporal.

Principalmente em situações que ocorre dor, dor lombar ou demais desconfortos e quando não temos melhora da saliência abdominal por conta da diástase com a perda de peso e exercícios, é possível a correção cirúrgica da diástase com o cirurgião plástico.

Fonte: Uptodate. Imagem: https://commons.wikimedia.org/