Morfológica do primeiro trimestre

Oi gents! Lembra que eu disse que ia tentar descomplicar a Ultrassonografia morfológica do primeiro trimestre? Então, é hoje!

O exame Morfológico do primeiro trimestre deve ser realizado quando o bebê (chamamos de feto nessa fase) estiver medindo de 45mm até 84mm da cabeça até o bumbum. Ele está com esse tamanho quando você estiver com 11 semanas e 3 dias até 13 semanas e 6 dias de gestação. Nesse intervalo, se for pra escolher uma data certinha para agendar seu exame, prefira entre o fim da 12a. semana e o início da 13a. semana, que é quando as estruturas que serão avaliadas pelo médico estão mais visíveis. (Para gestações gemelares o período é o mesmo!)

Pra que serve o exame?

  1. Determinar a vitalidade fetal, traduzindo: saber se o coraçãozinho do bebê está batendo e se bate na frequência adequada;
  2. Confirmar a idade gestacional. Determinamos a idade gestacional sempre no primeiro trimestre. Depois, só acompanhamos para ver se o crescimento fetal está adequado, a partir desse exame, a DPP (data provável do parto) nunca muda;
  3. Saber se são 1, 2, 3, 4… (hihihihi) bebês. E quando forem gêmeos, se eles dividem a mesma placenta  (corionicidade);
  4. Identificar alguma malformação mais grave (das que são possíveis de ver nesta idade gestacional);
  5. Rastreamento para aneuploidias (Whaaaat?!). Vou explicar: os bebês que tem aneuploidias são aqueles que tem as suas células com número de cromossomos (material genético) fora do normal, por exemplo, os bebês com Síndrome de Down.

Esse último item é importantíssimo esclarecer: é RASTREAMENTO (avaliação da chance de o feto ter aneuploidias) e não DIAGNÓSTICO (afirmar com certeza se tem ou não tem a Síndrome de Down). Para isso, o médico avalia algumas características, como a idade da mamãe, se essa mamãe já teve outros bebês com alguma síndrome, o tamanho do feto, a Translucência Nucal, presença do Osso Nasal, Fluxo do Ducto Venoso, e da Válvula tricúspide… Mais pra frente vamos explicar um por um desses itens avaliados ok?

Caso o risco do seu bebê dê aumentado (chance maior que o normal para sua idade de o feto ter aneuploidias), converse com seu obstetra, pois existem alguns exames a mais para serem feitos e tentar fazer o diagnóstico (caso vocês queiram), e alguns cuidados a mais durante o pré-natal. Por  isso, é um exame que não pode deixar de ser feito na gestação!

Deu pra descomplicar???

Fonte: Coleção Febrasgo, Medicina Fetal