Existe vacina pra evitar IST?

E não é que existe sim vacina pra evitar IST minha gente?

Mas só para algumas… a imensa maioria das Infecções Sexualmente Transmissíveis não possuem vacina e são preveníveis apenas com camisinha.

HPV.

A vacina contra HPV existe no mercado há mais de 10 anos e incrivelmente muitos ainda nunca ouviram falar, ou apresentam muito preconceito em relação a ela (por conta de fakenews em redes sociais). O SUS disponibiliza a vacina quadrivalente (que cobre os vírus 6, 11, 18 e 18) para meninas entre 9 e 14 anos e meninos entre 11 e 14 anos. O esquema são 2 doses com intervalos de 6 meses entre elas.

Já existem muitos estudos provando que se a imunização for realizada até os 14 anos 2 doses apenas são suficientes (0 e 6 meses). Acima de 14 anos a terceira dose seria indicada.

Na rede privada a vacina quadrivalente é administrada em 3 doses: 0, 2 e 6 meses. A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP), a Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm) e a Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (Febrasgo) recomendam a vacinação de meninas e mulheres de 9 a 45 anos de idade e meninos e jovens de 9 a 26 anos. Existe também a vacina bivalente (cobre os vírus 16 e 18), administrada em qualquer idade (a partir dos 9 anos) em 3 doses: 0, 1 e 6 meses. Lembrando que a bivalente não imuniza contra os subtipos que causam as verrugas genitais.

Contraindica-se a imunização na gestação.

HEPATITE B.

Desde 2016 o SUS disponibiliza a vacina contra hepatite B para toda a população, em todas as faixas etárias. São 3 doses, aplicadas em 0 (zero), 1 e 6 meses. Pode ser aplicada inclusive durante a gestação ou amamentação.

HEPATITE A.

A hepatite A é um tipo de hepatite com transmissão oral-fecal (água contaminada, pouca higiene, etc). Porém a transmissibilidade sexual não deve ser descartada.

Infelizmente, por ser um vírus de transmissão fecal-oral, apenas o uso de preservativo não protege a contaminação. Outras medidas devem ser tomadas como higiene das mãos, região genital e anal antes e depois do ato sexual. Também não se deve esquecer o uso de camisinha durante o sexo oral-anal e de limpar vibradores e outros acessórios/ brinquedos eróticos.

Atualmente, pelo SUS, está indicada para crianças de 15 meses a cinco anos incompletos, e nos CRIE para pessoas de qualquer idade com as seguintes situações: hepatopatias, coagulopatias, HIV, fibrose cistica, trissomias, candidatos a transplantes de órgãos (doadores ou receptores), hemoglobinopatias, doenças de depósito ou portadores de doenças imunossupressoras.

Na rede particular são administradas 2 doses com intervalo de 6 meses, a partir dos 12 meses de idade.

Viu como existem várias maneiras de evitar o contágio por infecções sexualmente transmissíveis?