Desejo sexual: o que você precisa saber.

Bem vindas! O tema de hoje é sobre o desejo sexual e vou descomplicar algumas coisas sobre isso, um tema “tabu”, cheio de curiosidades e dúvidas. Para começar, não é muito fácil falar sobre sexualidade, pois é preciso haver uma relação de confiança, empatia, vencer medos e preconceitos. Muitas vezes, nós mulheres preferimos conversar com uma velha amiga sobre o assunto, mas um ginecologista especializado pode esclarecer muito e ajudar a desmistificar esse tópico!

A primeira coisa a se dizer é: não existe um desejo “normal”. O problema de libido existe apenas quando você está incomodada e está afetando seu relacionamento. Então vamos às dúvidas mais comuns…

Tem diferenças entre homens e mulheres no desejo sexual?

Para o homem se excitar é bem mais simples e rápido. O sexo é uma forma de relaxar, com objetivo de atingir o orgasmo.

Já com a mulher não é bem assim… A resposta sexual feminina é beem mais complexa! Se ela não estiver bem consigo, se não estiver tudo em ordem, tudo bem com o parceiro ela não
consegue “funcionar”. A mulher é receptiva, responsiva. A mulher, diferente do homem, pode ter menos desejo espontâneo (quero agora!!!),  mas tem mais desejo quando tem estímulos e carinhos.

Os transtornos de desejo sexual feminino são comuns?

A queixa sexual mais comum entre as mulheres é a diminuição do desejo sexual, ou seja, a falta de
interesse pelo sexo, com estimativas que giram em torno de 48 a 65%. Um grande número não atinge
o orgasmo (aproximadamente 20%), segundo uma pesquisa realizada pela Secretaria de
Estado da Saúde de São Paulo por meio do Cresex (Centro de Referência e Especialização em
Sexologia) do hospital estadual Pérola Byington e no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina
da USP, com mais de 400 mulheres.

Mulheres na perto da menopausa, devido a queda natural dos hormônios, queixam-se de diminuição do desejo, dificuldade de excitação e atingir orgasmo. Algumas mulheres com este problema passam a fazer sexo por obrigação, para cumprir uma norma ou para não perder a parceria. O que acaba piorando ainda mais a inibição do desejo.

Quais são as causas de problemas do desejo sexual?

Existem várias classificações para os problemas no desejo sexual. Eles vão desde a falta de vontade de manter relações até ausência de resposta ao estímulo e orgasmo. Cabe ao especialista identificar, através de uma boa e completa conversa, onde pode estar o problema e muitas vezes são necessários exames laboratoriais e complementares.

Há muito tempo achava-se que apenas questões psicológicas e sociais estavam envolvidas nas
disfunção sexuais femininas. Hoje, no entanto, sabe-se que questões físicas e hormonais, algumas doenças, uso de medicamentos/drogas também podem causar o problema.

O uso de alguns tipos de anticoncepcionais, assim como medicamentos para depressão e que alteram o
metabolismo de alguns hormônios  podem diminuir o desejo.

Os problemas psicológicos e emocionais abrem um campo nebuloso, afinal, envolvem relacionamento,
personalidade e construção da sexualidade… mas nunca devem ser esquecidos! A baixa auto-estima pode afetar negativamente a libido feminina, assim como ansiedade, insegurança e conflitos com a parceria.  Até uma educação extremamente rígida (é feio se tocar, sexo é pecado, etc) pode causar disfunções sexuais.

Quais são os tratamentos para as queixas sexuais?

Como já falei, a disfunção sexual feminina pode ter diversas causas e por isso o tratamento deve ser individualizado. Por exemplo: quando é causada por um medicamento, podemos reduzir ou trocar o remédio. Quando o problema é hormonal, podemos fazer terapia com estrogênio (diretamente na vagina) ou terapia com andrógenos (hormônios masculinos) – sempre sob orientação do
seu ginecologista.

A primeira coisa a se fazer é entender seu próprio corpo! Acreditem meninas, muitas mulheres não se auto- conhecem, não sabem onde sentem mais prazer, sentem vergonha de se tocar e assim, ficam inibidas para o sexo!
Afinal, sexo é qualidade de vida! Até a próxima, mulheres descomplicadas!

FONTE: (1) Abordagem das disfunções sexuais femininas – Scielo.br www.scielo.br/pdf/rbgo/v30n6/08.pdf; (2) Manual MSD: Visão geral da função e disfunção sexual feminina – Rosemary Basson, MD, Clinical Professor, Department of Psychiatry, University of British Columbia and Vancouver Hospital; Director, UBC Sexual Medicine Program; (3) Artigo: Tratamento farmacológico da disfunção sexual na mulher. www.slamsnet.org/relams/pdf/relams-
2013-2-15_pt.pdf