Descomplicando os Quelóides e as Cicatrizes

Muitas de nós passamos por cirurgias ao longo da vida não é mesmo? Desde cesárias, cirurgias diversas devido a problemas de saúde, ou até mesmo ‘dar um up’ no visual… Procedimentos cirúrgicos acabam inevitavelmente nos acompanhando em algum momento na vida..

E ai surge aquele medo… e a cicatriz? Será que vai ficar boa?

Ou então… já operamos e começamos a notar que a cicatriz foi se alargando ou aumentando…

Você sabe o que é isso? Tem tratamento?

Vamos descomplicar!

Quando o organismo passa por uma cirurgia, ocorre o processo de cicatrização – Quando, por algum motivo – esse processo está alterado nós podemos nos deparar com os QUELÓIDES e as CICATRIZES HIPERTRÓFICAS.

O quelóide é uma sequela estética que pode trazer muitas preocupações e incômodos, e ele acontece quando a resposta cicatricial é tão intensa, que acaba extrapolando os limites normais da incisão cirúrgica.

É mais comum em pessoas negras e asiáticas do que em caucasianos (de 5 a 15x mais comum!) e como no Brasil temos essa grande mistura étnica, eles podem aparecer nas mais diferentes pessoas.

Não é incomum que a pessoa sinta coceira, dor ou desconforto na lesão, que se mostra elevada, inchada, endurecida e rósea ou acastanhada.

Há ainda aquelas pessoas que nem se submeteram à procedimentos cirúrgicos, mas pela genética, pequenos traumas, espinhas pode desenvolver também o quelóide.
Os locais mais comuns são lóbulos da orelha, ombros, região peitoral e tronco superior, mas pode atingir qualquer região do corpo.

É muito importante que pessoas que já tenham tido esse problema antes, em si mesmo ou na família, informe ao médico antes de decidir por um procedimento cirúrgico – Apesar de ser impossível impedir, podemos tomar algumas medidas para prevenir!

Já a cicatriz hipertrófica ocorre quando a cicatriz se alarga e se espessa além do normal, porém ainda se mantém dentro dos limites do corte cirúrgico, e também traz incômodo estético e desconforto.

queloides-vs-cicatriz-h

Figura 1 mostrando a cicatriz hipertrófica, enquanto a 2 nos mostra o quelóide

Existem diversas formas de tratamento e cada pessoa responde de uma forma. Geralmente necessitamos de tratamentos combinados para ter sucesso e melhora da cicatriz.
Algumas das opções são a radioterapia local, betaterapia (um tipo de radioterapia), placas de silicone, injeções de corticosteróides e outros medicamentos, fitas oclusivas de corticosteróides, cirurgias redutoras seguidas de infiltrações, terapia fotodinâmica, criocirurgia (congelamento do local) e mais modernamente a microinfusão de medicamentos na pele com dispositivos próprios para isso.

Procure seu dermatologista para decidir a melhor opção de tratamento para você!

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica