Descomplicando o exame do GBS

Você já ouviu falar da coleta do GBS, exame do cotonete? Ou também chamado de estreptococo do Grupo B ­(beta hemolítico) ou ainda S. agalactiae!

Se você é gestante e está entrando na 35 semana de gestação, até a 37 semana de gestação você deve conversar com seu ginecologista para fazer a coleta do exame do cotonete. Este exame consiste na coleta com um cotonetezinho de material da entrada da vagina e da região ao redor do ânus.

O GBS é uma bactéria que existe naturalmente na flora da vagina e do intestino e que pode ser transmitida ao recém-­nascido durante o parto, levando a casos de pneumonia, meningite e até infecção generalizada (septicemia).

Mas e se eu tiver o que devo fazer? Existe medicação antibiótica a ser usada na ocasião do início do trabalho de parto para reduzir a chance do recém­-nascido contrair esta bactéria.

O ideal é que esta medicação seja iniciada de 2 a 4 horas antes do nascimento do bebê, portanto, se você for GBS +, encaminhe-­se à sua maternidade logo ao iniciar o trabalho de parto.

Pacientes que serão submetidas a cesarianas eletivas não tem indicação de realização do antibiótico antes do procedimento, salvos os casos em que a paciente teve início do trabalho de parto ou rompeu a bolsa amniótica.

Dados sobre o GBS:

  • Prevalência mundial de gestantes colonizadas por GBS está em torno de 20%;
  • A transmissão vertical (da mamãe para o bebê) ocorre em 50% das gestantes colonizadas;
  • 1 a 2 casos de infecção neonatal, por GBS, por 1.000 nascidos vivos ocorrem.

Os casos de transmissão são poucos, porém não nulos. Já que existe a forma de rastreamento não nos custa fazer e garantir uma melhor assistência pré natal a todas as gestantes.

Informem­-se meninas!

Fonte: (1) FEBRASGO ­ Manual de Assistência Pré­natal; (2)Peixoto, Sérgio Manual de assistência pré­natal/Sérgio Peixoto. ­­ 2a. ed. ­­ São Paulo : Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia (FEBRASGO), 2014. (3) Solicitar ou não cultura para estreptococo do Grupo B no final da gestação? ­ Oliveira VMM, Moraes Filho OB ­ FEMINA Julho 2009 ­vol 37­.