Descomplicando o Exame Preventivo do Colo do Útero

Preventivo do colo do útero. Se você já foi ao ginecologista, com certeza deve ter ouvido falar desse exame. Mas você sabe para que ele serve?

De todos os tipos de câncer que acometem as mulheres, uma fatia de 15% corresponde ao câncer do colo do útero. Na maioria dos casos, a evolução do câncer do colo do útero é lenta (10 a 20 anos). O vírus HPV, que é contraído pelo sexo, tem a capacidade de atingir o DNA das células que recobrem o colo do útero. Isso pode causar alterações “intraepiteliais” (dentro dessas células) que podem evoluir para o câncer.

Portanto, são essas alterações, “feridinhas”, que o HPV faz, que detectamos no preventivo.

Assim, podemos curá-las antes de virar câncer.

O preventivo tem vários nomes: colpocitologia oncótica, esfregaço cervicovaginal, Papanicolau (nome do patologista grego que desenvolveu o exame – Georges Papanicolaou) e preventivo mesmo. Com esse exame, podemos fazer o diagnóstico das feridas que falei ali em cima, antes mesmo de podermos visualizá-la a olho nu. Assim detectamos a doença bem no início, antes mesmo que a mulher tenha sintomas, e assim, podemos tratá-las antes de virar algo grave. Isso é se prevenir!

Algumas pesquisas mostram que dentre as mulheres com o diagnóstico de câncer do colo do útero, metade delas nunca tinha feito o Papanicolau e outras tantas não faziam o exame regularmente.

Hoje, conseguimos prevenir o câncer de colo do útero com a vacina do HPV e com a detecção das alterações celulares no preventivo. Essas estratégias já diminuíram a incidência e até a mortalidade do câncer em diversos países. Infelizmente, cerca de 40% das mulheres brasileiras nunca fizeram o preventivo.

Nos ajude a espalhar e descomplicar a importância desse exame!

Fonte: Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero / Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva. Coordenação de Prevenção e Vigilância. Divisão de Detecção Precoce e Apoio à Organização de Rede. – 2. ed. rev. atual. – Rio de Janeiro: INCA, 2016. (2) Prevenção do câncer do colo do útero, manual técnico para profissionais de saúde, Ministério da Saúde; (3)http://www.who.int/reproductivehealth/publications/cancers/screening_and_treatment_of_precancerous_lesions/en/