Descomplicando o Diabetes Gestacional

Hello! A mulher que está entrando no mundo novo das gestantes com certeza já deve ter ouvido falar sobre Diabetes Gestacional. Então vamos descomplicar esse tema.

O diabetes é uma situação em que ocorre aumento da glicemia (açúcar no sangue). Quando essa hiperglicemia ocorre na gestação podemos ter consequências ruins, tanto para a mãe quanto para o bebê.

Em situações normais, nós produzimos um hormônio chamado insulina. Ela que nos faz metabolizar o açúcar e levá-lo às células do nosso corpo. Durante a gestação é natural ocorrer um estado resistência à insulina, ou seja, temos maior dificuldade em tirar o açúcar do sangue. Alguns hormônios produzidos pela placenta e outros aumentados pela gestação até promovem um aumento da produção de insulina nas gestantes saudáveis, para compensar essa dificuldade natural. Porém, nas gestantes que já estão com o pâncreas “trabalhando” no limite, isso pode não acontecer, e assim, elas podem desenvolver diabetes durante a gestação.

Nos últimos anos cada vez mulheres têm o diagnóstico de diabetes em idade fértil e durante a gravidez.

Infelizmente, isso é reflexo do crescimento populacional, da vida sedentária, alimentação inadequada, mudanças no estilo de vida e do aumento da prevalência de obesidade.

O principal fator de risco para uma mulher desenvolver diabetes do tipo 2 ou síndrome metabólica é ter o histórico de Diabetes Mellitus Gestacional (DMG).

Mas qual o problema de ter diabetes na gestação? Infelizmente, muitos.

Um estudo que incluiu cerca 25.000 gestantes com diabetes gestacional e resistência a insulina, em diversos países, concluiu que há correlação direta entre os valores de glicemia materna e a frequência de complicações maternas e neonatais como por exemplo:

  • pré-eclâmpsia – pressão alta da gestação;
  • polidramnio;
  • macrossomia fetal (quando o bebê é muito grande, fora do normal);
  • complicações no parto (aumento do índice de cesareana, fratura de clavícula, falta de oxigênio);
  • hipoglicemia neonatal (açúcar muito baixo no sangue do bebê);
  • parto prematuro;
  • óbito fetal;

Além disso, hoje sabemos que o Diabetes gestacional pode levar ao desenvolvimento de doenças futuras no bebê, como desenvolver obesidade, diabetes e pressão alta na vida adulta.

Apesar de tudo isso, se você teve recebeu o diagnóstico de Diabetes Gestacional não precisa se desesperar. Com um controle adequado com a ajuda de uma equipe multidisciplinar composta por obstetra, fetólogo, nutricionista e endocrinologista, você poderá levar sua gravidez sem complicações. Assim, o importante é valorizar o diagnóstico e cuidar da sua saúde, sabendo que suas atitudes hoje influenciarão seu bebê até a vida adulta!

FONTE: (1)Organização Pan-Americana da Saúde; Ministério da Saúde; Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia e Sociedade Brasileira de Diabetes: Rastreamento e diagnóstico de diabetes mellitus gestacional no Brasil. Brasília, DF: OPAS, 2016. (2) Hyperglycemia and Adverse Pregnancy Outcomes The HAPO Study Cooperative Research Group, New England Journal of Medicine 358(19):1991 · May 2008.