Descomplicando o Controle de Ovulação

Hello tentantes do meu Brasil! Se você está na busca do seu teste positivo, já deve ter ouvido falar no Controle de Ovulação. Também chamada de Ultrassonografia Seriada, o Controle de Ovulação é realizado igualzinho a Ultrassonografia Transvaginal. Só que nesse caso, são feitos aproximadamente 3 exames em dias diferentes, para avaliar como seu corpo se comporta durante o seu ciclo menstrual!

Se você está com dificuldade para engravidar naturalmente (cerca de 1 ano tentando e nada), o Controle de Ovulação é um exame que provavelmente você terá que realizar!

O exame é feito para detectar precisamente o dia da ovulação (seu período fértil). Já comentamos aqui que em um ciclo regular, a ovulação costuma ocorrer no meio do ciclo. E é nesse período que a mulher tem chances de engravidar.

Mas como o Controle de Ovulação funciona? Primeiramente, é feita uma ecografia transvaginal a partir do 8º ou 10º dia do ciclo menstrual (ou em outros dias caso seu médico ache mais adequado). Lembrando que começamos a contar o ciclo no primeiro dia que desce a menstruação. Nesse primeiro estudo será feita uma avaliação geral do seu útero e ovários e iremos observar seus folículos. Depois, você fará mais 2 ou 3 estudos, em dias alternados (ou em outro intervalo orientado pelo seu médico) para acompanhar como seu corpo funciona e sabermos quando você ovulou naquele mês.

Dentro dos folículos ficam nossos óvulos.

Durante o ciclo menstrual, crescem vários folículos até que um deles se torna maior que os outros: o Folículo Dominante. É esse folículo dominante que, por ter maior potencial para amadurecer o óvulo, o nosso corpo “escolheu” para romper e liberar o óvulo (ovulação). Em um ciclo regular (que dura entre 28 e 35 dias), entre o 10º e o 12º dia geralmente já identificamos os candidatos para ser o  Folículo Dominante daquele mês.

Então, nossos folículos crescem cerca de 2 milímetros por dia e rompem entre 18 e 26 mm, em média 24mm. Ao romperem darão origem ao Corpo Lúteo, que é como se fosse a “cicatriz da ovulação”. Esse corpo lúteo fica no ovário até a  nossa próxima menstruação. Mas se engravidarmos, fica até a placenta se formar (perto de 11 semanas). É o Corpo Lúteo quem produz a progesterona, que causa 0 aumento da temperatura basal (método comportamental que usamos para identificar o período fértil).

O corpo lúteo fica lá no ovário por aproximadamente 14 dias. Se não acontecer a gestação, ele desaparece, fazendo cair nossos níveis de progesterona, o que faz a camada interna do útero (endométrio) descamar ou seja: menstruamos! Mas se nós engravidamos, o famoso hormônio hCG diz para o corpo lúteo: “Fique aí!”. E assim ele fica lá, segurando a gravidez até que a placenta esteja pronta para produzir a progesterona.

Para a gravidez ocorrer, também é necessário que o endométrio esteja adequado.

Por isso, o Controle de Ovulação também monitora o desenvolvimento do endométrio. A espessura e característica do endométrio é fundamental para que você engravide. O endométrio no dia da ovulação deve estar mais ou menos entre 7 e 15 mm. Se o endométrio estiver “trilaminar”  há maiores chances de implantação do óvulo fecundado no útero.

Modificações do ovário e endométrio durante o ciclo menstrual.

Durante o controle de ovulação acompanhamos o desenvolvimento dos folículos e do endométrio.

Esse exame é super legal para você descobrir quando é seu período fértil, pois muitas mulheres podem ter uma ovulação precoce ou tardia. Também para quem está usando indutores de ovulação ou vai fazer coito programado, esse exame facilita a vida! Com ele, seu médico pode identificar diversas alterações que impedem a gestação e assim saber se há necessidade de algum tratamento medicamentoso ou se apenas era um problema de saber quando é seu período fértil.

Mas não custa lembrar que o Controle de Ovulação é um exame. Portanto deve ser solicitado pelo seu médico e o resultado também deve ser avaliado e interpretado por seu médico. Fazer exames desnecessários, usar medicamentos como indutores de ovulação por exemplo, sem orientação  e acompanhamento  médico, pode ser muito perigoso!

Descomplicou?