Descomplicando a Analgesia de Parto

Oi meninas, andei meio sumida, mas estou de volta com uma novidade… estou grávida!! Então, acabei escolhendo um tema pra “descomplicar” um assunto que tem tudo a ver com gestação: a analgesia de parto! Então vamos lá!

Um grande receio das gestantes em relação ao parto normal, diz respeito a “terrível dor” que o trabalho de parto e o parto normal têm a fala de poder causar. Sendo este um dos grande motivos para, muitas vezes, as mamães preferirem a cesariana. Vamos diferenciar!

  • Anestesia: mistura de substâncias que bloqueia a dor, os movimentos e as sensações, como pressão e temperatura, em uma parte do corpo (ou nele todo);
  • Analgesia (usada principalmente no parto normal): perda da sensibilidade da dor, mas sem perder movimentos, dependendo da dose, além de manter a capacidade de sentir pressão.

Lembrando sempre que esse procedimento deve ser realizado por profissionais anestesistas habilitados e familiarizados com analgesia. Ser acompanhado pelo médico obstetra e equipe de enfermagem para o real sucesso no nascimento.

Técnicas

As novas técnicas, medicamentos, equipamentos e maior conhecimento sobre a dinâmica do trabalho de parto tornaram esta modalidade – PARTO NORMAL COM ANALGESIA – uma experiência cada vez mais comum nas maternidades, que tem demonstrado muitos benefícios para as mães e bebês.

Com a possibilidade de realização da analgesia de parto, muitas mulheres têm optado por se submeterem a analgesia para alívio da dor e assim, terem o tão sonhado parto vaginal. Além disso, a Organização Mundial da Saúde recomenda a humanização da assistência ao parto e isso inclui o incentivo ao parto vaginal, ao aleitamento materno, ao alojamento conjunto e a presença de acompanhante.

Objetivos

E, já que o grande objetivo é o alívio da dor, para isso podem ser utilizadas técnicas alternativas farmacológicas (uso de medicamentos). Ou não farmacológicas, como massagens, hidroterapia, movimentação durante o trabalho de parto, posicionamento em que a mulher se sente mais confortável, ter ao seu lado um acompanhante para dar apoio, entre outras.

Existem técnicas diversas para realizar o procedimento. Cada técnica tem sua indicação e tempo certos para ser realizada durante o trabalho de parto ou período de expulsão do bebê. E serão indicadas pelo anestesista juntamente com o obstetra, caso seja a sua vontade!

Deu pra descomplicar um pouquinho?

Fonte: (1) Analgesia combinada raquiperidural em trabalho de parto. Seus efeitos sobre o desfecho do parto – Suneet Kaur Sra Charanjit Singh e col – Rev Bras Anestesiol. 2016; 66(3); 259-264; (2) Anestesia e Analgesia de parto – Sérgio Renato Guimarães Schmidt e col –   Arq. Bras. Cardiol. vol.93 nº.6 supl.1 São Paulo Dec. 2009, (3) Imagem de capa: ChaNaWiT/Thinkstock/Getty Images.