Descomplicando a ultrassonografia para medida do colo

Hello garotas! Aproveitando que o tema do momento é trabalho de parto prematuro (TPP), vamos falar um pouco mais sobre esse problemão!

Você sabia que o nascimento prematuro é o responsável por 75 a 95% de todas as mortes no período neonatal (quando o bebê não tem nenhuma malformação congênita)? E dos bebês que sobrevivem, alguns podem apresentar sequelas, como atraso de desenvolvimento, predisposição para doenças infecciosas, paralisia cerebral, problemas respiratórios, cegueira, surdez… (E que problemão né?).

A melhor forma para evitar que isso ocorra é descobrir se a mãe tem algum fator de risco para o parto pré-termo. Dentre os principais fatores de risco está o colo uterino curto. Hoje eu vou descomplicar um pouco mais esse assunto.

O colo do útero é considerado curto, quando na ultrassonografia para medida de colo mede menos de 15mm, 20mm ou 25mm de comprimento (no Brasil usamos mais a medida de 25mm). As mulheres que tem o colo menor que 15mm tem uma chance de 50% a mais de ter seu parto com menos de 32 semanas (isso é beeem prematuro!).

Essa medida deve ser feita por ultrassonografia transvaginal no segundo trimestre (mas pode??? Pode não, DEVE!), geralmente junto com a morfológica (de 20 a 24 semanas de gestação). O médico ultrassonografista mede a distância entre o orifício cervical interno (OI) (onde o colo se comunica com a cavidade do útero) e o orifício cervical externo (OE) (onde o colo se comunica com a vagina). E junto com o histórico prévio da gestante, como por exemplo se já teve outros partos prematuros, a medida do colo é de extrema importância para determinar o risco da gestante ter seu bebê antes do tempo.

colo

colo 2

Caso seu colo seja considerado curto, sem desespero! Agora que você descobriu, seu obstetra poderá tomar certos cuidados (medicamentos e/ou procedimento cirúrgico – a chamada cerclagem) para prolongar a gestação o máximo possível, até seu baby estar prontinho pra vir pro seu colo!

Até a próxima!