Descomplicando a TPM – por que eu?

Choro fácil, irritabilidade, desejo absurdo de comer doce, mamas doloridas, barriga inchada…alguém se reconhece? É…como se não bastasse a mulher menstruar mensalmente, muitas vezes esse evento é precedido pela tão famosa tensão pré menstrual (TPM). Os homens insistem em dizer que não passa de manha, as mulheres que nunca tiveram juram que é exagero. Mas sim, ela existe, e dever ser dada a devida atenção.

A TPM acomete, ainda que de forma leve, até 80% das mulheres em fase reprodutiva. É caracterizada por manifestações físicas, comportamentais e emocionais, devendo ser excluída qualquer doença orgânica ou mental que possa simular os sintomas.

Os sintomas iniciam-se de uma a duas semanas antes da menstruação (durante a fase lútea e após a ovulação) e aliviam com o início do fluxo menstrual. Para ser considerada TPM, os sintomas devem acarretar algum prejuízo diário na paciente e deve ter esse padrão cíclico de aparecimento.

Existe uma forma mais severa, chamada de Transtorno Disfórico Pré-Menstrual (TDPM) e caracteriza-se por sintomas mais exuberantes que causam prejuízo importante no dia a dia da mulher. Esta forma clínica acontece em apenas 3 a 8% das mulheres, e seu diagnóstico é dado apenas pelo médico, após avaliação criteriosa do caso.

Os sintomas comuns são:

  • Sintomas comportamentais e emocionais: depressão, agressividade, irritabilidade, ansiedade, alteração do sono, confusão mental, isolamento social, alteração do apetite (compulsão alimentar), fadiga e falta de energia;
  • Sintomas físicos: mastalgia (dor nas mamas), inchaço abdominal, dores de cabeça, edema de extremidades, dor articular ou muscular, ganho de peso, acne;

E porque tudo isso acontece?

Ainda é muito controverso a origem destes sintomas. Acredita-se hoje que um conjunto de fatores acabam por desencadear a TPM. Existe uma predisposição genética nas pacientes que sofrem desta síndrome. Outro fator importante, é a flutuação hormonal desta fase. Na fase lútea, há alterações do sistema 5-hidroxitriptofano (5-HT) no cérebro. O 5-HT é um neurotransmissor serotoninérgico (???), uma substância que age no cérebro e é responsável pela regulação do humor e da ansiedade, como também na regulação do apetite, do sono e da excitação. Além disso, os hormônios ovarianos ainda regulam os receptores GABA – que regulam o afeto e a cognição.

A progesterona, hormônio feminino que está presente nesta fase, é responsável por retenção de líquidos e sódio na fase pós-ovulatória – causando edema e aumento de peso, comuns na TPM.

Ou seja, a alteração hormonal desencadeia uma bagunça no organismo e deixa a mulher com a tão famosa TPM.

Agora que vocês já entenderam o que é a TPM, e porque ela ocorre, que tal descobrir como sobreviver a este período??
Cada mulher deve ser avaliada individualmente, de acordo com os sintomas apresentados, e assim definir o melhor tratamento em conjunto com seu médico, pois não existe um teste diagnóstico específico, sendo este realizado apenas pela conversa com o médico.

Por isso, o tratamento que é bom para sua amiga, pode não ser bom para você! Fique atenta à isso, nunca tome remédios sem a orientação correta. Um beijo, controlem-se no chocolate, e ate o próximo post!

Fonte: (1)  http://www.scielo.br/pdf/rn/v15n3/a07v15n3; (2) http://www.febrasgo.org.br/site/wp-content/uploads/2013/05/Femina_v38n6_p311-51.pdf (3) http://www.projetodiretrizes.org.br/substuicao10/tensao_pre_menstrual.pdf; (4) http://www.moreirajr.com.br/revistas.asp?fase=r003&id_materia=2114