Descomplicando a higiene íntima

Quando o assunto é a higiene da mulher, surgem milhões de dúvidas: posso usar sabonete íntimo sempre? Qual é melhor? E ducha vaginal?

Higienizar a região íntima da mulher não é nenhum bicho de sete cabeças. Muita coisa do que ouvimos falar é mito e só serve para nos confundir.

Primeiramente devemos saber que só é preciso limpar a área externa. Isso mesmo! Só a parte de fora! Nada de introduzir água ou outros produtos na vagina. Duchas vaginais só devem ser feitas se o médico indicar.

A frequência de higienização depende do clima. Recomenda-se uma a três vezes ao dia nos dias quentes e pelo menos uma vez ao dia nos dias frios. Devemos utilizar água corrente e produtos de higiene próprios para a área íntima, fazendo movimentos circulares, limpando bem as dobras e cuidando para não trazer a sujeira da região do ânus para frente. O tempo da higiene íntima não deve ultrapassar dois a três minutos. Nada de exageros! Lembre-se que a pele da região é bem sensível e pode ficar ressecada se limparmos demais. Além disso, o objetivo é retirar a sujeira e o excesso de gordura e não acabar com as bactérias que vivem ali e das quais precisamos para não termos corrimento.

Após a lavagem é preciso secar bem com toalhas de algodão secas, limpas e macias para não agredir a pele. O secar bem é importante para não aumentar a quantidade de bactérias e fungos no local.

Quanto aos produtos próprios para a higiene íntima, devemos preferir os sabonetes líquidos (porque os sólidos são mais agressivos para a pele), hipoalergênicos (que praticamente não causam alergia) e com pH ácido entre 4,2 a 5,6 (essa informação deve constar na embalagem do produto). A maioria dos sabonetes íntimos que encontramos para vender são assim e cada mulher costuma se adaptar melhor com uma determinada marca. Cabe a você encontrar a sua!

Fonte: Guia prático de condutas sobre higiene genital feminina. FEBRASGO, 2009.