4 coisas que você precisa saber sobre a Microcefalia

Hello mulheres!

O assunto do momento: microcefalia! Está se falando em todo lugar, e como uma mulher moderna, informada e atualizada, você não pode deixar de descomplicar o que está acontecendo.

O que é microcefalia?

A microcefalia é uma malformação congênita (quando ocorre no bebê ainda dentro do útero). É caracterizada pelo tamanho pequeno da cabeça do feto (crânio e cérebro). O diagnóstico pode ser feito durante o pré natal através da ultrassonografia, e às vezes o problema só se torna aparente no terceiro trimestre. Na ecografia o médico mede a circunferência do crânio, e coloca ela num gráfico que compara as medidas normais para cada idade gestacional. Se a medida da cabecinha do bebê estiver muito abaixo da média (2 ou 3 desvios-padrão), enquanto as outras medidas do corpinho estão normais, é feito o diagnóstico de microcefalia. Após o nascimento é considerada microcefalia quando a circunferência da cabeça é menor que 32 cm (num bebê a termo – nascido após 37 semanas). Bebês com microcefalia podem ter atraso no desenvolvimento neurológico e motor.

O que pode causar a microcefalia?

Pode ser causada por alterações cromossômicas, síndromes genéticas, falta de oxigênio para o feto (hipóxia), exposição à radiação, uso de drogas, álcool e alguns medicamentos, por outras malformações do sistema nervoso do feto (holoprosencefalia, agenesia do corpo caloso…) além das infecções congênitas (as mais conhecidas são a toxoplasmose, rubeola e citomegalovirus).

Mas que tanto se fala atualmente de microcefalia?

A microcefalia não é uma alteração nova. Quando o bebê tem apenas a microcefalia, ela ocorre em 1 a cada 10mil nascimentos, e pode ser um pouco mais comum quando associada a outras malformações. O que aconteceu é que os médicos de algumas regiões do país, principalmente do nordeste (sendo Pernambuco o estado mais afetado) ao fazerem os atendimentos de pré-natal e dos recém-nascidos começaram a notar recentemente um aumento grande no número de bebês com microcefalia, mais de 700 casos* até agora. Como o número de casos cresceu muito e rapidamente (o que não é comum para malformações congênitas) houve a necessidade de notificar os casos às entidades sanitárias e de iniciar uma investigação para descobrir as causas desse aumento. Já são 9 estados afetados*.

E descobriram o que está acontecendo?

Por enquanto a principal hipótese é que a microcefalia está sendo causada pela infecção da gestante pelo vírus Zika. Recentemente os pesquisadores começaram a notar que muitas das mulheres grávidas de fetos com microcefalia tiveram algum sintoma relacionado à febre Zika durante a gestação, e algumas delas apresentavam esse vírus no líquido amniótico (líquido da bolsa do bebê). Muitos desses cientistas acreditam que essa é a causa desse surto de microcefalia, porém ainda não se pode confirmar com 100% de certeza*, ou se há alguma fase da gestação quando a transmissão é mais perigosa, pois para isso são necessários longos estudos. O que se sabe é que a infecção pelo Zika, Chikungunya e Dengue (todas transmitidas principalmente pela picada do mosquito Aedes Aegypti) está alcançando níveis de epidemia, e colocando em alerta o Ministério da Saúde.

Assim pelamor… façamos a nossa parte! Sem água parada, sem mosquito!

Descomplicou??

*Dados até a data da postagem (25/11/2015)

Fonte: (1) Coleção Febrasgo: Medicina Fetal; (2) http://www.diariodepernambuco.com.br