3 dúvidas comuns sobre analgesia de parto.

Oi meninas, já descomplicaram a Analgesia de Parto aqui no blog? Hoje vamos responder as 3 dúvidas que mais nos enviaram:

Quando se pode fazer a analgesia?

O maior indicativo do tempo da realização da analgesia é a intensidade da dor referida pela gestante, mas todo o processo deve ser acompanhado pelo obstetra.

A melhor avaliação do momento adequado para realização do procedimento e qual melhor técnica/ medicamentos devem ser decisões tomadas em conjunto com o anestesista, para não atrapalhar a progressão do trabalho de parto.

Se a analgesia for realizada num momento muito inicial do trabalho de parto, pode atrapalhar mais, que ajudar!

Será que os medicamentos usados na analgesia fazem “mal” ao bebê?

Não existem evidências científicas. Estudos demonstram que não há diminuição do índice de Apgar (nota que o bebê recebe ao nascer) e outros parâmetros de bem estar dos bebês em filhos de mães que fizeram analgesia de parto.

Vou perder a força na hora de ajudar o bebê a nascer se estiver sob efeito da analgesia?

Acredita-se que a analgesia pode aumentar o tempo da segunda fase do trabalho de parto e do período expulsivo por diminuir o reflexo involuntário da mãe de fazer força na hora do nascimento (traduzindo: a analgesia pode fazer com que a mãe não sinta o momento de fazer a força para o bebê nascer), o que pode causar má posição fetal durante a descida e levar a maior indicação de intervenção sob a forma de parto instrumental (fórceps) ou até mesmo de cesariana. Contudo, atualmente, quando bem indicada e com a técnica adequada, a fraqueza dos músculos da pelve é mínima ou inexistente, não interferindo na força.

Para finalizar, gostaria de deixar a seguinte mensagem para vocês, mulheres descomplicadas: O PARTO NORMAL É POSSÍVEL, SEM DOR!!

Conversem com seu ginecologista sobre esse assunto e tirem suas dúvidas! Até logo…

FONTE: (1) Anestesia e Analgesia de parto – Sérgio Renato Guimarães Schmidt e col –   Arq. Bras. Cardiol. vol.93 nº.6 supl.1 São Paulo Dec. 2009; (2) Analgesia combinada raquiperidural em trabalho de parto: seus efeitos sobre o desfecho do parto – Suneet Kaur Sra Charanjit Singh e col – Rev Bras Anestesiol. 2016; 66(3); 259-264; (3) Imagem de capa ©Getty Images/BSIP UIG-