16 fatores que aumentam o risco para Câncer de Mama.

Hello girls!  Sabia que o câncer de mama representa cerca de 1/3 de todos canceres em mulheres?

Estima-se que 75% a 80% dos casos se originam em mulheres sem fatores de risco para a doença, 10% são hereditários e de 10% a 15% possuem familiares com a doença.

Mesmo a maioria dos casos ocorrendo em mulheres sem fatores de risco, é importante sabermos quais são as mulheres que possuem um maior risco de desenvolver a doença, pois essas podem mudar alguns hábitos de vida, fazer exames de rastreamento mais precoces e assim evitar a doença, ou ao menos, ter o diagnóstico mais precoce e aumentar, e muito, as chances de cura!

São fatores que aumentam o risco para o câncer de mama:

  1. Idade: quanto mais velha a mulher, maior o risco;
  2. Biópsia de mama demonstrando “hiperplasia atípica“: quando há “atipia” nas células, é um sinal que a multiplicação delas não está mais como deveria ser, e o câncer é um crescimento desordenado das células.
  3. Mutações genéticas:  “BRCA1 e BRCA2”, é um exame que não é solicitado de rotina, apenas em casos especiais, como histórico de câncer de mamas ou ovários em muitas mulheres da família (foi o caso da atriz Angelina Jolie).
  4. Mamas densas à mamografia: a mama densa à mamografia dificulta o achado de alguns nódulos pequenos. Porém hoje existem outros exames de imagem que podem auxiliar no diagnóstico quando isso acontecer.
  5. História familiar de câncer de mama em mulheres;
  6. História familiar de câncer de mama masculino – (SIM! Os homens também podem ter câncer de mama, porém é mais raro);
  7. História pessoal de câncer de mama: quando você já teve um tumor em uma mama, o risco de desenvolver na outra mama é maior;
  8. Ter feito radioterapia no tórax antes dos 30 anos;
  9. Origem juidaica Ashkenazi: algumas famílias tem mutações genéticas que propiciam o surgimento de câncer.
  10. Primeira menstruação antes dos 12 anos;
  11. Menopausa após os 55 anos;
  12. Nunca ter engravidado;
  13. Primeira gestação após os 30 anos;
  14. Obesidade: sobretudo em pacientes após a menopausa. O estrogênio é o principal hormônio envolvido no desenvolvimento do câncer de mama. Esse hormônio é produzido pelo ovário, que “para de funcionar” quando a mulher entra na menopausa. Este hormônio passa a ser produzido na gordura, portanto quanto maior a quantidade de gordura maior a quantidade de estrogênio e consequentemente maior o risco de câncer de mama.
  15. Terapia de reposição hormonal na pós menopausa;
  16. Consumo constante de álcool (mais de 2 taças por dia);

Ufaaaa, esses são os principais fatores que podem influenciar no desenvolvimento de câncer de mama. Lóóóóógico, que temos que individualizar cada caso! Existem alguns modelos matemáticos (Gail, de Claus, BRCAPRO e Tyrer-Cuzick) que são utilizados pelo mastologista para quantificar o seu risco, por isso a prevenção e o diagnóstico precoce ainda são a maior chance de cura de quem tem câncer.

Espero ter ajudado um pouquinho! Beijooos.

Fonte: (1) Doenças da mama, guia prático baseado em evidências. Autores: Antonio Frasson, Eduardo Camargo Millen, e outros. – São Paulo: editora Atheneu, 2011; (2) American Cancer Society, Inc. 2013. (3) Berek e Novak: Tratado de Ginecologia. 15a edição. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2014.