Hello gravidíssimas! A aferição da pressão arterial na gestante deve ser regra em todo o exame físico/consulta. A pressão alta na gravidez é considerada risco para diversas complicações e é a principal causas de mortalidade materna no país!

Quando a pressão da gestante está alta, primeiramente temos que fazer o diagnóstico correto do problema… como assim? Existe a possibilidade de a mulher já ter pressão alta antes da gravidez, e aí chamamos de Hipertensão Arterial Crônica (HAC), mas a que estamos a falar neste post é a doença hipertensiva da gestação, a pré-eclâmpsia. A Pré-eclâmpsia tem como principal característica o surgimento de pressão alta APÓS as 20 semanas de gravidez… não é uma pressão alta quando ficou nervosa, e sim, aferições maiores ou iguais a 140/90 mmHG após o repouso. Junto com a pressão alta, podemos observar alterações no exame de urina (presença de proteína) e inchaço importante…

Não sabemos ainda exatamente o que causa a pré-eclâmpsia e nem como evitá-la. Mas temos como realizar o diagnóstico precocemente, avaliar o risco de uma gestante desenvolvê-la e até prevenir as manifestações mais graves da doença. Uma maneira de fazermos isso é durante a ecografia Morfológica do primeiro trimestre quando o fluxo das artérias que vão para o útero é avaliado e os valores adicionados a um software licenciado juntamente com o peso e estatura da mãe e o histórico de pressão alta em gestações anteriores. Os médicos habilitados para realizar esse exame e calcular o risco para desenvolver pré-eclâmpsia são especialistas em Medicina Fetal. Nos casos onde o risco é elevado, é possível iniciar medicamento e realizar exames mais específicos para que se evite que a doença evolua para sua forma mais grave.

A Pré-eclâmpsia, quando não controlada, pode causar insuficiência placentária, restrição de crescimento do bebê, além de alterações graves na mãe até convulsões (eclâmpsia) e o óbito. Por isso, as mulheres que têm o diagnóstico dessa doença ou até mesmo a que tiveram o problema em gestações passadas devem realizar o seu pré-natal com médicos especialistas em gestação de alto risco.

Por isso, mesmo que você tiver pressão “baixa” no início da gravidez não significa que não pode ter pressão alta (pré-eclâmpsia) depois!

Se você sentir mal estar geral, dores de cabeça, dores na nuca, ver pontinhos de luz, notar um super inchaço e sua pressão estiver alta – maior ou igual a 140/90, voe para o médico pois isso pode ser bem grave!

Mais pra frente descomplicamos outras coisas relacionadas à pressão alta! Até depois!

Referência: Protocolos Assistenciais – USP