Descomplicando a Febre Amarela

E o assunto da “moda” é: febre amarela! Vamos tentar descomplicar um pouquinho:

O que é febre amarela?

É uma doença infecciosa viral febril que causa calafrios, mal-estar, dores no corpo, dor de cabeça, fraqueza, cansaço, vômitos e, em casos graves, febre alta, icterícia (pele e olhos com coloração amarelada), sangramento aumentado e morte em 20-30% dos casos.

Temos 2 formas da doença, a silvestre e a urbana. Do ponto de vista clínico, a doença é a mesma, o que muda são os vetores (quem transmite). Na forma silvestre, o macaco se contamina com o vírus e fica doente. O mosquito (Haemagogus e Sabethes) pica o macaco, adquire o vírus e depois pica o homem, transmitindo a doença. (Gentem… deu pra entender que não é o macaco que transmite a doença, e sim o mosquito! Então não adianta nada matar os macacos, né?).  Na forma urbana o vetor é o famoso Aedes Aegypti (o mesmo que transmite Dengue e Zika). Ele transmite a febre amarela de uma pessoa a outra. Muito importante destacar que o homem não transmite diretamente a febre amarela para outro homem, precisa do vetor, que é o mosquito.

O diagnóstico deve ser feito sempre por um médico e o tratamento é feito com o paciente internado, em repouso, com medicações que ajudam a aliviar os sintomas em casos leves ou que ajudam a reverter e controlar as complicações em casos graves.

Mas qual o motivo deste post? É esclarecer que a prevenção é o melhor tratamento de todos! E, neste caso, a melhor prevenção é: VACINAÇÃO!

A vacina deve ser aplicada em dose única a partir dos 9 meses de idade. Recentemente o Ministério da Saúde e a Fundação Oswaldo Cruz enviaram uma nota alegando que a imunidade da vacina vale por toda a vida, ou seja, não é necessário dose de reforço.

Mas pera aí, gestante pode vacinar contra febre amarela? A principio não. Essa vacina é feita com vírus atenuados (estão vivos, mas beeeeeem fraquinhos) ou seja, existe uma contra-indicação para ser feita na gestação. Caso a gestante more em uma área com risco muito elevado de contrair a doença a realização da vacina deve ser considerada. Lembrando que nessas situações colocamos numa balança os riscos da VACINA pra gestante e bebê contra os riscos da DOENÇA pra gestante e bebê. E, neste caso, a única pessoa capaz de pesar esse risco x benefício e tomar a melhor decisão é o médico da paciente (obstetra e/ou infectologista).

E as tentantes (as que estão tentando engravidar), podem tomar? O ideal é esperamos 30 dias entre a vacinação e a gravidez para eliminarmos todos os riscos.

Lembrando que mamães que estão amamentando bebês abaixo de 6 meses também não podem se vacinar.

Por conta do atual surto de febre amarela no Brasil, o Ministério da Saúde optou por fracionar a dose da vacina, de forma a conseguir vacinar maior parte da população. Esse fracionamento da vacina está sendo realizado em áreas de maior risco e não pode ser realizado em determinadas situações. A diferença neste caso é que a vacina fracionada dura apenas 8 anos. Caso uma gestante necessite (por algum motivo específico) ser vacinada contra a febre amarela, a dose fracionada nunca deve ser usada.

Essa vacina também é contra-indicada para bebês com menos de 9 meses de idade, pessoas com alergia grave ao ovo, HIV positivas com contagem de CD4 menor de 350, quem está em tratamento com quimioterapia ou radioterapia, transplantados, portadoras de doenças autoimunes ou submetidas a tratamentos com imunossupressores (medicações que diminuem nossa defesa natural).

Além da vacinação devemos sempre evitar a picada do mosquito, certo? Até porque o Aedes pode transmitir outras doenças para qual ainda não temos vacinas como Zika, Chicungunha e Dengue (vacina ainda em teste e em poucas regiões do Brasil). Fazemos isso evitando áreas que o mosquito exista, matando os mosquitos urbanos e não deixando que eles se proliferem (água parada não dá!), usando roupas compridas (e largas) e, principalmente, usando repelente.

Baseado em tudo isso, será que vale a pena uma gestante viajar para passar férias em uma região com risco de contrair a doença? Sendo uma doença grave e a vacina não ser indicada, talvez não seja a melhor hora para se arriscar, não é mesmo?

Fonte: (1) https://portal.fiocruz.br/pt-br/content/febre-amarela-ministerio-da-saude-orienta-sobre-dose-unica-da-vacina (2) http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/febre_amarela_guia_profissionais_saude.pdf