3 principais dúvidas sobre a laqueadura

Hello meninas! Depois do nosso vídeo respondendo às perguntas de vocês, surgiram vários comentários de mulheres jovens se queixando que não conseguiam fazer a laqueadura… isso nos surpreendeu um pouco! Por isso, é interessante conversarmos mais sobre esse assunto. Vamos descomplicar?

O que é a laqueadura?

A laqueadura, ou ligadura tubária, é um método anticoncepcional cirúrgico (definitivo), que resulta na esterilização da mulher. Mesmo com o termo “definitivo” esse procedimento tem taxa de falhas, ou seja, apesar de ter um risco baixo, há sim chance de engravidar após a laqueadura ( 0,1 a 0,6 em 100 mulheres ao ano, engravidam após o procedimento).
“Ah, mas hoje em dia pode reverter a cirurgia”. Realmente isso é verdade, porém a taxa de sucesso é de cerca de 30% segundo os manuais da Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia, ou seja, 7 em cada 10 mulheres que fizeram a laqueadura e optaram por reverter a ligadura não conseguem engravidar naturalmente após a reversão.

Existem efeitos colaterais pra quem faz a laqueadura?

Sim. As complicações são variadas… é uma cirurgia, então a maioria das complicações são relacionadas aos riscos cirúrgicos, comuns aos procedimentos em que é necessário atingir os órgãos abdominais: além dos riscos anestésicos, as lesões de órgãos (como a bexiga e intestino principalmente), hemorragias (e todas as suas complicações) e infecção da ferida operatória. Também já foram descritas alterações no ciclo menstrual, como irregularidade e aumento do fluxo.
E sabe qual é a complicação mais comum? O arrependimentoQuanto mais jovem a mulher que faz a laqueadura, maior a taxa de arrependimento, as pesquisas mostram isso.
Outra coisa: a laqueadura, pela lei, não deve ser feita no momento do parto, pois já foi comprovado que experiências negativas durante a gravidez influenciaram a escolha das mulheres que optaram pela laqueadura nesse momento. As pesquisas revelam que é o caso da maioria das mulheres que se arrependeram de ter feito esse procedimento.
A vida muda, os relacionamentos mudam e, porque não, nós mudamos! Decisões definitivas não devem ser tomadas no impulso, e com a laqueadura não seria diferente… Por isso a lei exige um intervalo mínimo de 60 dias para tomar a decisão e realizar o procedimento, pois nesse período você pode se informar sobre os riscos da cirurgia, as vantagens e desvantagens de optar pela laqueadura e principalmente: pra que conheça outros métodos anticoncepcionais. O texto da lei deixa claro que o procedimento deve ser desencorajado em mulheres jovens.

Quem pode fazer a laqueadura?

Já descomplicamos isso aqui no blog! Pelo SUS, quem regulamenta a prática das cirurgias para esterilização (laqueadura e vasectomia) é a LEI Nº 9.263, DE 12 DE JANEIRO DE 1996
Podem fazer a cirurgia mulheres acima de 25 anos OU mulheres acima de 18 anos que já tem 2 filhos vivos ou ainda quando há risco comprovado para a mulher ou bebê em uma próxima gravidez. Nos casos de casamento, o procedimento deve ser autorizado também pelo(a) cônjuge. Quem fez as leis não são os médicos que trabalham nos postos de saúde, então, se você não concorda com o que a lei diz, deve demonstrar sua insatisfação lá no Congresso, com os políticos!

Algumas coisas devem ser bem pensadas antes de tomar essa decisão:

  • a laqueadura também tem taxa de falha e efeitos colaterais, como todos os outros métodos anticoncepcionais. Existem diversos métodos de longa duração! Você já descomplicou todos eles, para ter certeza que a cirurgia é a melhor opção?
  • se a sua opção é a cirurgia, que tal conversar com seu parceiro? Por que a mulher deve ser a única responsável pelo planejamento familiar? A vasectomia é muito menos invasiva, tem menos riscos e não afeta a vida sexual. Abra o jogo em casa!
  • se você é jovem, lembre que ainda muita coisa vai rolar nessa vida… decisões definitivas devem ser evitadas.

A opção do método anticoncepcional deve ser sempre discutida com seu ginecologista de confiança, e individualizada. Acredite: existe um anticoncepcional que é o melhor pra você! E se depois de tudo isso você optou pela laqueadura, converse com seu médico para dar entrada nos papéis!

Até a próxima!

Fonte: (1) Manual de Orientação Anticoncepção, 2010 – FEBRASGO; (2) Manual de Anticoncepção- FEBRASGO (http://criticaresaude.com.br/_recursos/download/manual_de_anticoncepcao_febrasgo_2009.pdf); (3) Lei 9.263/1996 (LEI ORDINÁRIA) 12/01/1996.